segunda-feira, 18 de maio de 2015

De malas prontas



Malas prontas rumo ao velho mundo e um novo eu.
E é então aí que começa a ideia de escrever um blog. Nós já tínhamos planos para um futuro, mesmo que curto. Eu iniciaria um contrato de pós doutoramento na França em setembro, o que me deixou com muito receio devido a gravidez. (Infelizmente nessa sociedade em que vivemos, uma mulher que trabalha é sempre desencorajada a engravidar, os pensamentos vão sempre em direção à aceitação pelo trabalho, medo do que será depois da gravidez e/ou com o fim da licença maternidade). No entanto, ao comunicar aos meus futuros chefes a novidade fiquei aliviada com uma resposta tão positiva. E ainda poderia aproveitar de uma licença maternidade "a la brasileira" ao invés dos 3 meses legislados pela França, dos quais um deles é antes do bebê nascer, então a mulher entra em licença maternidade e fica torcendo para a criança nascer antes da data prevista, assim sobra mais tempo para depois do parto. Viu que nem tudo lá de fora é melhor do que no Brasil? 
E foi nesse momento de mudança(S) que eu mergulhei fundo na maternagem. Conheci várias mulheres que são hoje pra mim inspiração. Conheci um grupo virtual imenso (virtual, mas que tem trazido e traz benefícios reais a muitas mulheres nesse mundo afora) de ativistas na luta pelo direito da mulher, outros grupos de apoio, de super importância para essa fase de tantas mudanças físicas e sobretudo, emocionais! 
E enquanto a gente ia se programando pra mudança de país eu ia estudando, investigando, discutindo e ensinando (ao maridão que ainda estava bem desnorteado com a novidade). Para homens a ficha demora a cair ne?! 
Ao chegar em terras bearnesas comecei um trabalho de preparação de parto, fazia yoga e canto pré-natal e o futuro papai entrou nessa comigo. Sentia-me bastante segura quanto à escolha e o desejo de receber ao mundo nosso bebê, mas nem tudo foi flores e cor de rosa. A espera num país novo, trabalho novo e a bomba de hormônios que explodia em mim não ajudaram em nada, ao contrário, dificultaram e muito, sobretudo a minha aceitação em não estar mais no Brasil, longe da família e amigos. 
Continue aqui que em breve vou falar sobre essa história de preparação pré-natal, yoga, canto e etc e como foi trocar o morro dois irmãos carioca pelo pic du midi d'ossau no bearn! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário